A Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF) divulgou o Índice de Custo de Vida na Capital em maio: 0,80%. Pelos números do Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) o resultado foi 0,18 ponto percentual superior ao de maio de 2015 (que registrou 0,62%) e, em comparação com o mês anterior, também houve aumento, de 0,48 ponto percentual – abril teve alta de 0,32%.

Em maio, três dos quatro principais grupos que compõem o índice registraram alta: Alimentação (0,88%), Produtos Não Alimentares (0,53%) e Outros Serviços (0,95%). A alta no grupo Alimentação foi puxada especialmente pelos hortifrutigranjeiros – incluindo produtos de consumo diário, como tomate, batata inglesa e cebola – que tiveram aumento médio de 3,40%. Já entre os Produtos Não Alimentares, destaque para as altas nos medicamentos (13,21%) e nos artigos de mesa e cozinha (9,10%). Aumentos também nos serviços de assistência à saúde, que subiram 6,67%. Apenas o grupo Serviços Públicos não teve variação no período.

Com o resultado, a variação acumulada nos últimos doze meses é de 9,88% e, nos primeiros cinco meses deste ano, a soma alcançou 4,55%.

Os dados para o índice do mês foram coletados entre 2 e 30 de maio de 2016. Confira o relatório mensal e a série histórica do IPC da Capital na página do Custo de Vida, no portal da Udesc Esag.

Sobre o índice

O Índice de Preços ao Consumidor (Custo de Vida) de Florianópolis é calculado desde 1968 pela Udesc Esag, em trabalho coordenado pelo administrador Hercílio Fernandes Neto, egresso da instituição. Reflete a variação de preços incidentes sobre os orçamentos das famílias da Capital, com base na comparação de preços de 319 itens. A relevância de cada produto para o cálculo do índice foi definida por meio de uma pesquisa de orçamento familiar, também realizada pela Udesc Esag.

A divulgação do Índice de Custo de Vida é realizada pela , por meio de convênio firmado em 2007.

LimaoLimão e laranja tiveram variação de preços de 33,34% e 27,70%

O Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e a Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF) divulgam o Índice de Custo de Vida na Capital em 2014. Com o resultado de dezembro (0,76%), coletado entre 1 e 28, a variação geral do índice no ano foi de 6,73%, 0,64 ponto percentual superior ao registrado em 2013, que teve aumento de 6,09%.
O acumulado de 2014 também foi superior ao de 2013 no principal grupo que compõem o índice, o de Alimentação: 7,16% de aumento, contra 6,68% calculados no ano anterior. Neste grupo, os preços que mais subiram foram o do limão (33,34%), da laranja pera (27,70%) e do macarrão (27,30%).
Nos demais grupos também houve aumento em 2014. Os Produtos Não Alimentares subiram 7,58%, os Outros Serviços 4,40% e os Serviços Públicos 2,99%. As maiores altas foram nos artigos de limpeza (23,77%), na energia elétrica (22,45%) e no aluguel de imóveis (11,10%)
Ao longo do ano, o menor índice mensal foi registrado em julho (0,19%) e o maior em janeiro (0,97%).

Sobre o índice

O Índice de Preços ao Consumidor (Custo de Vida) de Florianópolis é calculado desde 1968 pela Udesc Esag, em trabalho coordenado pelo administrador Hercílio Fernandes Neto, egresso da instituição. Reflete a variação de preços incidentes sobre os orçamentos das famílias da Capital, com base na comparação de preços de 319 itens. A relevância de cada produto para o cálculo do índice foi definida por meio de uma pesquisa de orçamento familiar, também realizada pela Udesc Esag.

O Índice de Custo de Vida na Capital, calculado pela Udesc Esag e divulgado pela Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF), fechou o mês outubro com alta de 0,82%. A principal influência para o resultado foi a variação do grupo Alimentação (1,07%), puxada especialmente pela alta significativa de 2,69% no subgrupo Produtos de Elaboração Primária, no qual pesou o aumento no preço das carnes. A carne de primeira subiu 4,40%, a carne de segunda 4,04%, os miúdes de ave 4,28% e o pernil suíno 4,04%.
Também houve aumento nos grupos Produtos Não Alimentares (0,36%) e Outros Serviços (0,03%). O grupo Serviços Públicos e de Utilidade Pública não apresentou variação.
O aumento foi 0,49 ponto percentual superior ao índice de setembro, que teve variação de 0,33%. Em comparação com outubro de 2013 (que registrou 0,59%), houve aumento de 0,23 ponto percentual. Com o resultado, a alta nos primeiros dez meses do ano chegou a 5,31% e o acumulado dos últimos doze meses atingiu 6,43%.
Os dados para o índice do mês foram coletados entre 29 de setembro e 31 de outubro de 2014. Confira o relatório mensal e a série histórica do IPC na página do Custo de Vida, no portal da Udesc Esag.

Sobre o índice

O Índice de Preços ao Consumidor (Custo de Vida) de Florianópolis é calculado desde 1968 pelo Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), em trabalho coordenado pelo administrador Hercílio Fernandes Neto, egresso da instituição. Reflete a variação de preços incidentes sobre os orçamentos das famílias da Capital, com base na comparação de preços de 319 itens. A relevância de cada produto para o cálculo do índice foi definida por meio de uma pesquisa de orçamento familiar, também realizada pela Udesc Esag.

 

Contato para entrevistas
Assessoria de Comunicação da Udesc Esag
Gustavo Cabral Vaz
48 3321.8281 / 9161.9002

Todos os grupos e subgrupos que compõem o índice de Custo de Vida na Capital apresentaram aumento em setembro. A alta no mês foi de 0,33%, influenciada principalmente pelo grupo Alimentação, que registrou elevação de 0,30% nos preços. A maior alta do grupo foi registrada na alimentação fora do domicílio, que em função do aumento dos preços nos lanches e refeições chegou a 0,74%.

Em setembro, também houve aumentos nos Produtos Não Alimentares (0,71%), com destaque para alta nos artigos de limpeza (3,57%), nos Serviços Públicos e de Utilidade Pública (0,39%), resultante do aumento de 7,79% observados nos preços dos serviços de telefonia, e ainda no grupo de Outros Serviços (0,06%).

O cálculo do Índice de Custo de Vida é realizado pelo Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e a divulgação é feita pela Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF), por meio de convênio entre as instituições.

O aumento de setembro foi 0,14 ponto percentual superior ao índice de agosto, que foi de 0,19%, mas em comparação com setembro de 2013 (que registrou 0,45%), houve redução de 0,12 ponto percentual. Com o resultado, a alta nos primeiros nove meses do ano chegou a 4,45% e o acumulado dos últimos doze meses atingiu 6,19%.

Os dados para o índice do mês foram coletados entre 1 e 28 de setembro de 2014. Confira o relatório mensal e a série histórica do IPC na página do Custo de Vida, no portal da Udesc Esag.

 

Sobre o índice

O Índice de Preços ao Consumidor (Custo de Vida) de Florianópolis é calculado desde 1968 pela Udesc Esag, em trabalho coordenado pelo administrador Hercílio Fernandes Neto, egresso da instituição. Reflete a variação de preços incidentes sobre os orçamentos das famílias da Capital, com base na comparação de preços de 319 itens. A relevância de cada produto para o cálculo do índice foi definida por meio de uma pesquisa de orçamento familiar, também realizada pela Udesc Esag.

 

Contato entrevistas

Assessoria de Comunicação da Udesc Esag

Gustavo Cabral Vaz

3321.8281

9161.9002

A principal influência no índice do Custo de Vida em Florianópolis no mês de agosto – 0,19% – foi a alta registrada no grupo dos Serviços Públicos: 4,89%, o maior aumento mensal dos últimos cinco anos. O resultado foi impulsionado pelas correções nas tarifas de energia elétrica (22,45%) e de água e esgoto (7,55%). Os dados foram calculados pelo Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e divulgados pela Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF) por meio de convênio entre as entidades.

Apesar de a variação de agosto ter sido a menor registrada este ano na Capital, com o resultado, a alta nos primeiros oito meses do ano chegou a 4,10% e o acumulado dos últimos doze meses atingiu 6,31%.

Em agosto, não houve variação no grupo Alimentação, devido à redução no subgrupo Produtos In Natura (-1,79%), que acabou por compensar os aumentos dos Produtos Industrializados (0,32%), de Elaboração Primária (0,20%) e Alimentação Fora de Domicílio (0,20%). Já o grupo dos Produtos Não Alimentares registrou redução (-0,27%) e em Outros Serviços houve pequena alta (0,03%%), consequência do aumento nos serviços de saúde.

Os dados para o índice do mês foram coletados entre 3 e 30 de agosto de 2014. Em comparação com agosto de 2013 (que registrou 0,47%), houve redução de 0,28 ponto percentual.

Confira o relatório mensal e a série histórica do IPC na página do Custo de Vida, no portal da Udesc Esag.

 

Sobre o índice

O Índice de Preços ao Consumidor (Custo de Vida) de Florianópolis é calculado desde 1968 pela Udesc Esag, em trabalho coordenado pelo administrador Hercílio Fernandes Neto, egresso da instituição. Reflete a variação de preços incidentes sobre os orçamentos das famílias da Capital, com base na comparação de preços de 319 itens. A relevância de cada produto para o cálculo do índice foi definida por meio de uma pesquisa de orçamento familiar, também realizada pela Udesc Esag.
Contato para entrevistas

Assessoria de Comunicação  da Udesc Esag

Gustavo Cabral Vaz

48 3321.8281 9161.9002

O Índice de Custo de Vida em Florianópolis voltou a subir em junho: 0,52%.  O aumento foi de 0,09 ponto percentual superior ao apurado no mês anterior – o índice em maio foi de 0,43%. O resultado foi calculado pelo Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e divulgado pela Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF), por meio de convênio firmado entre as instituições.

Os alimentos foram determinantes para a elevação do índice, com destaque para os Produtos Industrializados, com alta de 1,10 ponto percentual. Itens como macarrão (4,80%), refrigerante guaraná (4,22%), creme de leite (3,94%), queijo mussarela (3,65%) e farinha de trigo (2,93%) tiveram maior aumento.

Alimentos de Elaboração Primária, como miúdos de ave (3,74%), costela suína (3,70%), costela bovina (3,48%) e leite natural tipo “B” (3,20%), também sofreram elevação.

Frutas e legumes, que são consumidos em seu estado natural, contribuíram para a alta do custo de vida. Os alimentos In Natura tiveram aumento de 0,56% ponto percentual. Destaque para o chuchu (18,79%), o limão (10,25%), a cebola de cabeça (9,56%), a vagem (6,54%), e o aipim (5,48%).

Já os produtos Não Alimentares (0,30%) e Outros Serviços (0,26%) foram os que menos aumentaram. Devido a redução no preço das passagens, apenas o grupo Serviços Públicos teve variação negativa (-3,28%). Os dados para o índice do mês foram coletados entre 2 e 29 de junho de 2014.

Com o resultado, a alta no primeiro semestre do ano chega a 3,68%, e o acumulado dos últimos doze meses atingiu 6,69%. Em comparação com junho de 2013 (que registrou 0,42%), houve aumento de 0,10 ponto percentual.

Confira o relatório mensal e a série histórica do IPC na página do Custo de Vida, no portal da Udesc Esag.

 

Sobre o índice
O Índice de Preços ao Consumidor (Custo de Vida) de Florianópolis é calculado desde 1968 pela Udesc Esag, em trabalho coordenado pelo administrador Hercílio Fernandes Neto, egresso da instituição.
Reflete a variação de preços incidentes sobre os orçamentos das famílias da Capital, com base na comparação de preços de 319 itens. A relevância de cada produto para o cálculo do índice foi definida por meio de uma pesquisa de orçamento familiar, também realizada pela Udesc Esag.
A divulgação do Índice de Custo de Vida é realizada pela Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF), por meio de convênio firmado em 2007.

 

Contato para entrevista: Assessoria de Comunicação da Udesc Esag / Gustavo Cabral Vaz: (48) 3321-8281 / 9161-9002

Guilherme Garcia

(48) 3028-0183 / (48) 3223-3078/ (48) 8406-4891

www.allpresscom.com.br.bh-65.webhostbox.net

O Índice de Custo de Vida na Capital em maio fechou com alta 0,43%. Mais uma vez, o resultado foi influenciado principalmente pelo aumento no grupo Alimentação (0,56%): a Alimentação fora do Domicílio registrou alta de 1,77%, e o grupo Alimentação no Domicílio (que teve variação de 0,52%), foi impactado pelos aumentos dos Produtos Industrializados (0,85%) e de Elaboração Primária (0,74%), apesar de nova redução nos Produtos In Natura (-1,19%). O resultado repetiu os meses anteriores, de março (0,63%) e abril (0,70%), que também registraram aumentos consideráveis no preço dos alimentos.

Produtos Não Alimentares (0,17%) e Serviços Públicos (0,11%) também aumentaram seus preços. Apenas o grupo Outros Serviços não teve variação. Em maio, o aumento foi 0,07 ponto percentual inferior ao apurado no mês anterior – o índice em abril foi de 0,50%. Com o resultado, a alta nos primeiros cinco meses do ano chega a 3,14%, e o acumulado dos últimos doze meses atingiu 6,59%. Em comparação com maio de 2013 (que registrou 0,17%), houve aumento de 0,26 ponto percentual.

Os números foram calculados pelo Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e divulgados pela Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF), por meio de convênio firmado entre as instituições em 2007.

Os dados para o índice do mês foram coletados entre 29 de abril e 30 de maio de 2014. Confira o relatório mensal e a série histórica do IPC na página do Custo de Vida, no portal da Udesc Esag.

 

Sobre o índice

O Índice de Preços ao Consumidor (Custo de Vida) de Florianópolis é calculado desde 1968 pela Udesc Esag, em trabalho coordenado pelo administrador Hercílio Fernandes Neto, egresso da instituição. Reflete a variação de preços incidentes sobre os orçamentos das famílias da Capital, com base na comparação de preços de 319 itens. A relevância de cada produto para o cálculo do índice foi definida por meio de uma pesquisa de orçamento familiar, também realizada pela Udesc Esag.

 

Contatos para entrevistas

Assessoria de Comunicação da Udesc Esag
Gustavo Cabral Vaz

48 3321.8281 / 9161.9002